O lado bom da Deep Web

O submundo da internet tem muito mais informação a oferecer do que apenas conteúdos sinistros

Estudos revelam que na internet convencional há apenas 1% de todo o conteúdo da web - Imagem: www.superdownloads.com.br

Estudos revelam que na internet convencional há apenas 1% de todo o conteúdo da web – Imagem: http://www.superdownloads.com.br

Por Fernanda Mueller

A “internet do mal”. Foi assim que ficou conhecida a camada mais profunda da rede. Mas ter acesso a um conteúdo cerca de 500 vezes maior do que aquele que os mecanismos de busca, como o Google oferecem para nós na Surface Web, não deveria ser visto somente como uma janela para os demônios da humanidade. Existe muita informação de qualidade e recursos proveitosos que as pessoas acabam não usufruindo, pois há certo tabu quando o assunto é Deep Web.

O navegador mais utilizado para acessar a internet paralela é o TOR (The Onion Router), um software que impede que suas informações sejam registradas. Esse é o browser mais seguro e privativo, e é rápido e simples de baixar. Depois disso é só acessar a internet por esse navegador e você já estará mergulhando nas profundezas da Deep Web. O especialista em Tecnologia da Informação, Octavio Campanol, explica que as pessoas geralmente ficam com receio de entrar na rede, pois lá existem todos os tipos de vírus. “É verdade que os maiores hackers estão na Deep Web, mas, se você for cauteloso, as chances de pegar algum vírus são mínimas. Basta ter um bom antivírus instalado e não baixar nada no seu computador. Se você estiver apenas navegando pela web, não tem porque ter medo”.

Além de um imenso catálogo de ebooks, a página traz informações sobre autores e lançamentos de livros

Ecstasy em pó e LSD estão no topo da lista de drogas compradas online

Na internet paralela, os sites possuem um layout bem rudimentar, do século XX, e todos os links são formados por uma série de códigos, por exemplo,http://kpvz7ki2v5agwt35.onion/, dificultando o rastreamento por parte das autoridades. Então, para que você consiga encontrar as informações que te interessam, terá que acessar buscadores que disponibilizam os links dos sites. O mais conhecido é o Hidden Wiki, a Wikipédia da Deep Web, que indica os sites, de acordo com os assuntos. Lá você vai encontrar links que te levam para as páginas mais sinistras da internet. Venda de todos os tipos de drogas, pedofilia, assassinatos por encomenda.

Nas profundezas do oceano existe também conteúdo acadêmico

O que pouca gente sabe é que se você entrar na rede em busca de informação, certamente, vai encontrar bastante coisa interessante, como livros e artigos científicos, que até então estavam perdidos e fóruns extremamente avançados de programação. Na própria Hidden Wiki, existem links que vão te direcionar para páginas menos perturbadoras. Existem bibliotecas enormes em todos os idiomas que você pode imaginar, como Jotunbane’s Reading Club. Já no Liberated Books and Papers, há poucos arquivos disponíveis, no entanto, o intuito do site é disponibilizar livros e artigos privados, que são censurados na internet convencional.

Mas existem ainda outros buscadores, além do Hidden Wiki, que disponibilizam somente links de páginas acadêmicas. O The Virtual Library, por exemplo, é considerado o catálogo mais antigo da internet, ele foi lançado por Tim Berners-Lee, o criador da World Wide Web. Já o Arquive.Org possui um enorme arquivo de mídia que está em domínio público, mas é difícil encontrar na rede, como livros raros, músicas, vídeos e ainda fotos de websites antigos.

Além de um imenso catálogo de ebooks, a página traz informações sobre autores e lançamentos de livros

A rede já despertou o interesse de muitos estudantes, como o Ricardo Floriani, que é aluno de engenharia de materiais. “Já baixei vários livros de matemática, muito interessantes, que você não encontra na internet normal e são muito caros pra comprar. O único problema é que tem pouco conteúdo em português, então eu geralmente baixo em inglês”.

Além de disponibilizar toda essa informação que na Surface Web você não vai encontrar, a internet invisível também é muito útil para jornalistas. Muitos correspondentes internacionais utilizam a rede para se comunicar com suas redações, já que países como Irã, Coreia do Norte, e China costumam controlar a internet convencional, principalmente se um jornalista estrangeiro estiver navegando por ela.

A internet está cada vez mais censurada, e a Deep Web pode ser a melhor saída para a liberdade. Então, agora que o tabu está quebrado, você já pode entrar nesse oceano de informações. Está tudo lá nas profundezas, é só começar a navegar!

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s