Aikido é uma arte marcial não competitiva

Em Florianópolis, a Kawai Shihan Dojo inicia praticantes

 – Fabio Tarnapolsky –

O MMA cresceu muito em nível mundial no novo milênio, com os sucessos do extinto Pride, do UFC e de outras competições menores. As regras se renovaram, a segurança aumentou e o esporte ficou cada vez mais profissional. Mas não foram todas as artes marciais que aderiram às competições e torneios, algumas seguem até hoje com o intuito de defesa pessoal e melhoramento físico, longe dos campeonatos. É o caso do Aikido. Desenvolvida entre os anos de 1930 e 1960 por Morihei Ueshiba, essa arte é baseada originalmente na defesa pessoal e está presente no Brasil. Em Florianópolis é praticada em academias como o Kawai Shihan Dojo.

Quem coordena as aulas é o sensei Carlos Grisalt. Ele é contra as competições e seu foco é priorizar a qualidade. Segundo Grisalt, “o Aikido não tem competição, existe uma linha de Aikido que se tornou competitiva, mas ela não é reconhecida pelo Hombu Dojo, que é o centro da arte, onde foi criado pelo grão-mestre Morihei Ueshiba”. Ele explica as aulas da academia são mistas e as pessoas mais graduadas treinam com os menos graduados. “A gente prioriza sempre a integridade física do outro, sempre se faz pensando em melhoramento físico”.

Esse foco na integridade física do oponente e os treinos mistos entre graduações não é exclusividade do Kawai Shihan. Conforme Grisalt, esse estilo de ensinamento é comum na cultura oriental, lá muitas artes marciais não utilizam o sistema de faixas, a evolução do praticante é vista por ele mesmo e por quem treina junto, de acordo com o tempo de prática e a dedicação aos treinos e ensinamentos adquiridos ao longo dos anos. Com a expansão para o ocidente e o crescimento em países com diferentes culturas de aprendizado, algumas academias se adaptaram e criaram linhas de Aikido com faixas e níveis de graduação. Para Grisalt, o ocidental tem “vontade de ver aumentar o seu nível, e não necessariamente o quanto ele está aprendendo”. O Kawai Shihan Dojo também aderiu ao sistema de faixas, mas o estilo original não foca nisso.

Faixas de graduação do Aikido em academia do Rio de Janeiro.

Faixas de graduação do Aikido em academia do Rio de Janeiro.

O grão-mestre e criador da arte marcial Morihei Ueshiba é reconhecido por ter estudado em escolas japonesas tradicionais. Ele imaginou sua arte marcial não apenas como síntese da prática da luta, mas como uma expressão de sua filosofia sobre a paz universal e a reconciliação. O Aikido é influenciado por ensinamentos da religião Ōmoto-kyō, que baseia-se na consecução de utopia durante uma vida. Na arte ela é usada para que o lutador possa atacar e redirecioná-lo inofensivamente para um sentido oposto, o que resulta no conceito da defesa pessoal. O aikidoka está em constante evolução pessoal, pode se dizer que o praticante é simultaneamente um defensor e um atacante.

Morihei Ueshiba

Morihei Ueshiba

Hoje em dia a maior organização de Aikido é a Fundação Aikikai, que pertence à família de Ueshiba. Com o crescimento da arte no mundo, apareceram vários estilos. A maioria desenvolvida pelos principais estudantes de Morihei Ueshiba. Após a sua morte, mais dois estilos emergiram. A maior discussão e controvérsia a respeito da arte marcial ocorreu após a saída do mestre Koichi Tohei do Hombu Dōjō, em 1974. Tohei abandonou o dojo após se desentender com o filho de Morihei, Kisshomaru Ueshiba, que era o administrador da fundação na época. Depois de Tohei deixar a instituição, ele fundou o seu próprio estilo, que chamou de Shin Shin Toitsu Aikido. O último grande estilo criado evoluiu da aposentadoria de Ueshiba, é o “estilo Iwama”, um reduzido número de seguidores formou uma pequena rede de escolas as quais denominaram Iwama Ryu. Apesar dos praticantes do estilo Iwama conservarem o aikido, eles mais tarde dividiram-se em dois grupos. Um deles permaneceu com a Fundação Aikikai de Ueshiba, enquanto o outro fundou uma associação independente, a Shinshin Aikishuren Kai, em 2004, baseada nos conhecimentos do filho de Morihiro Saito.

O Aikido começou a ser difundido e expandido no mundo por Minoru Mochizuki, quando este praticante viajou até a França e introduziu técnicas da arte em escolas de Judô. A arte manteve sua divulgação com Tadashi Abe, que a partir de 1952 deu continuidade ao seu ensino no ocidente, principalmente na França. Hoje em dia, existem escolas de Aikido em todo o mundo. Na cultura popular, a arte marcial foi muito mostrada em filmes do ator Steven Seagal na década de 1990.

Fabio_aikido_Seagal-1

No Brasil, a arte cresce através do boca-a-boca, quem pratica recomenda e divulga para quem tem interesse. Tanto o Aikido como várias outras lutas que estão pouco presentes nos grandes eventos mundiais mantêm suas raízes e mesmo com o crescimento global seguem sua cultura oriental.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s